A moça vai tomar banho,
banho domiciliar.
A moça não se dispersa
na piscina nem no mar.
A moça entra no banheiro
e torce a chave e o ferrolho
da porta. (Há na fechadura
um olho que chama outro olho.)
A moça vai tomar banho.
Deixa os chinelos no canto.
Perdeu os itinerários.
Solta os cabelos castanhos.
Fica nua. Dela saltam
peitos agressivos de
bicos rubros, insinuantes,
de leite e amor para as bocas
dos babies e dos amantes.
A moça morena espia
dentro do espelho da pia
a exclusivamente sua
liberta beleza nua.

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Da banheira

Mário Mota

(Ex)Citação de Mário Mota

Jornalista, professor, poeta, cronista, ensaísta e memorialista brasileiro.