Há um misto de azul e trevas agitadas
Nesse felino olhar de lúbrica bacante.
Quando lhe cai aos pés a roupa flutuante,
Contemplo, mudo e absorto, as formas recatadas.

Nessa mulher esplende um poema deslumbrante
De volúpia e langor; em noites tresloucadas
Que suave não é nas rosas perfumadas
De seus lábios beber o aroma inebriante!

Fascina, quando a vejo à noite seminua,
Postas as mãos no seio, onde o desejo estua,
A boca descerrada, amortecido o olhar...

Fascina, mas sua alma é lodo, onde não pousa
Um raio dessa aurora, o amor, sublime cousa!
Raio de luz perdido em tormentoso mar!

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Nesse felino olhar

Gonçalves Crespo

(Ex)Citação de Gonçalves Crespo

Jurista e poeta. Nascido nos arredores da cidade do Rio de Janeiro. Filho de mãe escrava.